Prezados possíveis participantes

       Em nosso site, onde existe a palavra ADENDOS, os senhores estarão em contato com o "Meu Blog". Colocaremos ali também novas reflexões, para podermos todos interagir de melhor forma e eu poder receber manifestações sobre o escrito no site e também sobre o escrito no Blog. Participem então e sejam bem-vindos, àqueles que de alguma forma torcem por algo melhor do que a utilização superficial dos recursos tecnológicos das redes sociais digitais. 

Um abraço

Maria Clara Ramos Nery

 

 

PREZADOS POSSÍVEIS PARTICIPANTES:

Tenho observado a utilização do Facebook. Ela praticamente tem se constituído, num espaço de publicação de superficialidades. Nossa proposta aqui é bem outra: é profundidade, a profundidade da reflexão sobre a vida e a condição humana. É uma forma de utilização da Internet de maneira mais produtiva em nosso entendimento, num espaço de compartilhar reflexões sobre o homem em sua totalidade, seja de que área do conhecimento for, mas em conjunto, numa relação dialógica significante, que acresça a cada um de seus participantes em reflexões. Destina-se àqueles que buscam a compreensão sobre as impressões de caminhada que fazemos ao longo de nossas existências e sobre o que guardamos na algibeira de nossas almas, como seres humanos. Àqueles que se recusam a pensar sobre a condição humana e estão atrelados à superficialidade da ordem, que passem " a lo largo", destas reflexões e nada registrem, pois não são bem-vindos, mas àqueles que quiserem participar ativamente, refletindo, dialogando sobre nossa condição de seres humanos, em conjunto como toda a relação dialógica deve ser, que fiquem por aqui e registrem suas impressões com sinceridade e profundidade, pois aqui não está aberto para superficialidades e "fogueiras de vaidades". Talvez seja algo muito pretencioso, mas vamos ver, o resultado, pois como dizia Fernando Pessoa: "o homem não é apenas um animal. É uma carne inteligente, embora as vezes doente".

Que sejam bem-vindos aos que tem algo a dizer fora da pequenez das vaidades extremas.

Um abraço a todos e iniciemos num melhor aproveitamento, dos recursos tecnológicos.

Maria Clara Ramos Nery

PRIMEIRA ARGUMENTAÇÃO PARA REFLEXÕES

    Aqui pensamos que José Ortega y Gasset, sociólogo e filósofo espanhol teve algo a dizer, em seu livro " Meditações de Quijote", quando afirmou que? 

"Eu sou eu, mais as minhas circunstâncias, se não salvo as circunstâncias, não salvo a mim". Pensemos a respeito, no que se constituem nossas circunstâncias.

Um abraço

Maria Clara Ramos Nery

 

INDICAÇÃO DE LEITURA

INDICAÇÃO DE LEITURA

    Indicamos uma leitura que se constitui numa obra prima a respeito da análise da condição humana: "A NEGAÇÃO DA MORTE", de Ernest Becker, a qual descobri por ocasião de uma palestra que assisti de Luiz Felipe Pondé, no programa da TV Cultura, Café Filosófico, aliás, brilhante programa. 

  Boa leitura, que é sempre um diálogo de experiências entre leitor e autor. 

Maria Clara Ramos Nery

 

BRASIL PÁTRIA EDUCADORA

Pensemos.
Nestes tempos de Brasil-Pátria Educadora, a condição humana do professor encontra-se em defasagem com a condição humana do "pidão" que se apresenta para todos nós, contando sua vantagem e reconhecendo o significado para a própria sociedade da profissão de professor. A decadência e o fracasso da sociedade brasileira, do Estado Brasileiro e da Política brasileira é simplesmente uma REALIDADE!.

UM SIMPLES ARGUMENTO

VEJAMOS:

      Deus fez o homem 

      a sua imagem e semelhança!

      O homem caga!

      E agora?

Maria Clara Ramos Nery

O SER DE ANGÚSTIA QUE SOMOS E O PORQUE

  Segundo Ernest Becker, em sua obra "A Negação da Morte", há uma especificidade na condição humana na medida em que " a prisão do caráter da pessoa é trabalhosamente construída para negar uma coisa, e apenas uma coisa: a sua condição de criatura. Isso é o terror. Uma vez admitido o fato de ser uma criatura que defeca, você convida o oceano primitivo da angústia animal a desaguar sobre você. Mas isso é mais do que angústia da criatura, é também a angústia do homem, a angústia que resulta do paradoxo humano de que o homem é sim um animal, porém cônscio de sua limitação animal. A angústia é o resultado da percepção da verdade de nossa condição (BECKER, 2015: p: 115)."

    Becker atinge o ponto central de ter surgido o próprio Míto de Sísifo, talvez seja por isso que esta angústia seja justamente a pedra carregada sobre os ombros infinitamente, montanha acima e montanha abaixo por toda a eternidade humana, que não é uma eternidade, mas é uma eternidade na sua limitação da mortalidade. Negar talvez que chegaremos a um ponto em que somente seremos esquecimento por sermos uma criatura que morre, levou ao surgimento dos deuses e de Deus. Pensemos a respeito. 

                                                                http://1.bp.blogspot.com/-peCos2PrKG0/UimuBRLKe-I/AAAAAAAAHgM/5EOYRkZLkO8/s1600/sis2.jpg